A importância do contato para os casais

 

Postado em 23 de fevereiro de 2019



Quase todos os relacionamentos, começam com uma necessidade incrível de as pessoas estarem em contato físico constantemente, tocando-se o tempo todo por meio do simples ato de dar as mãos, de corpos juntos, abraços, carícias, beijos e sexo.

O contato físico, independentemente da forma, é uma incrível troca de energias entre as pessoas e, no início, é sempre uma grande novidade em termos de sensações e emoções.

 



Ocorre que, o tempo vai passando e, sem percebamos, os hábitos, as rotinas e a vida corrida, vão fazendo com que os contatos físicos diminuam progressivamente e processualmente.

Gostaram disso, não é mesmo? Afinal, essas justificativas nos confortam, pois retiram de nós e transferem para a vida as responsabilidades pelos esfriamentos das relações.

Contudo, esta perda está diretammete ligada à pouca importância que damos ao contato. Nossa forma de contato físico é instintiva, sem prestemos à devida atenção, portanto, sem foco na extrema relevância que isso tem. Trata-se desconhecimento que começa por cada um de nós e se expande a quem se relaciona conosco.

A perda do contato físico não deve ser imputada à vida. Esta perda é de nossa total responsabilidade, portanto.

Geralmente, nos damos conta disso com a diminuição do prazer, quando a vida sexual começa a dar aquela esfriada e os níveis de stress aumentam. Logo depois começam os vazios e as tristezas. O prazer começa a faltar e os desdobramentos começam a nos angustiar. As pessoas vão se distanciando e começam as inseguranças e problemas de autoestima. Percebemos isso, quando estamos em um estágio avançado de perda de contato, ou seja, praticamente sem.

A questão é que este esfriamento não ocorre de uma hora para outra. A coisa começa aos poucos, lá na frente, quando começamos a deixar de ter, progressivamente, contato com a outra pessoa: damos menos as mãos; depois os corpos não ficam mais tão juntos; abraçamos menos; acariciamos os menos; beijamos menos e, quando nos damos conta, deixamos o sexo de lado. Tudo começa quando deixamos de lado o que é mais simples, mais básico. É um enfraquecimento progressivo e processual das trocas de energias. Por isso o foco no contato é relevante!

Tudo é energia. Tudo que toca o corpo, toca a mente, o espírito e a alma. Somos unidade. Por isso, a perda de contato entre os casais é algo muito ruim. E não é só de espírito e alma que falo. Esses efeitos têm influência física, pois afeta diretamente a produção de hormônios importantes para a nossa felicidade.

Os relacionamentos trazem focos diversos. Porém, as pessoas precisam entender que o foco principal tem que ser o contato e as trocas de energias que ele proporciona.

Se você está começando uma relação, nada melhor do que focar no contato, desde já. Para quem está em uma relação "esfriada", afirmo que o resgate do contato é capaz de trazer todas as emoções e sensações iniciais de volta; é capaz de trazer novidades intensas e muito interessantes também.

O foco no contato permite que o prazer sexual se intensifique, porque ficamos menos ansiosos. O foco no contato acalma, afaga e permite que o amor flua com intensidade.

 


Por Marcelo (Prem Prabhu)