A solução é mais importante que o problema: relaxe observe

 

Postado em 28 de dezembro de 2017



 

Quando nos preocupamos em conseguir algo, seja no campo material ou no espiritual, nossas chances diminuem proporcionalmente ao nível de preocupação que carregamos. Isso ocorre, porque preocupação e solução se repelem.

A questão é que, enquanto estivermos preocupados, mais longe da solução estaremos. Preocupação gera paralização parcial ou total da nossa mente em relação a qualquer assunto que desejamos resolver. Quando estamos preocupados, nossas mentes e olhos ficam nublados. Passamos a deixar de enxergar de forma cristalina. E as soluções precisam de cristalinidade absoluta.

 



Quando estamos preocupados, tornamo-nos ansiosos, nervosos, desesperados, angustiados, estressados, etc., beirando a irracionalidade. Pessoas desenvolvem até doenças por isso. Algumas chegam ao ponto de confundir preocupação com responsabilidade. Acham que, se não estiverem preocupadas, são relapsas, pois a preocupação preenche vazios causados pela ansiedade, pela pouca autoconfiança, por vezes, pela pouca autoestima também.

Só que preocupação não tem nada a ver com a assunção de responsabilidades pelos resultados das nossas vidas, até porque, pessoas preocupadas, tendem a tomar atitudes impensadas com elas mesmas e, não raras vezes, com outras pessoas.

Temos muitas dificuldades em fazer o que deve ser feito e deixar fluir, permitindo que o rio siga seu curso natural, sem interferências. Achamos que, se não estivermos preocupados, nada estamos fazendo. Isso não é verdade. Faça apenas o que tiver que ser feito, deixe fluir e torne-se uma pessoa observadora. Isso não tornará ninguém omisso ou negligente. Trata-se apenas de uma atitude sabia.

Mas, como saber o que realmente precisa ser feito, fazer e deixar fluir? O primeiro passo é desacelerar, depois parar, respirar, se acalmar para que tenha uma visão limpa de tudo. Está já resposta está dentro de cada pessoa.

Nesses anos, envolvido no Tantra, percebi que mais de 95% do que temos de preocupação vem da nossa ansiedade, falta de autoconfiança e autoestima. Percebi que, quando a preocupação está presente, o que precisa ser diluído não se dilui com facilidade. As vezes sequer se dilui.

A ansiedade faz com que questões e problemas simples ganhem pesos e dimensões que não têm de fato. Também faz com que coisas e situações cotidianas se tornem grandes problemas. A questão é que a preocupação, na imensa maioria das vezes, não representa uma verdade.

Utilizarei o exemplo da massagem tântrica e das pacientes que relatavam casos de anorgasmia total, ou seja, que nunca atingiram o orgasmo: existem, nesses casos, grandes ansiedades tomando conta das mulheres. A anorgasmia afeta sobremaneira a autoconfiança e a autoestima das mulheres. Este somatório de fatores negativos faz com que elas se tornem pessoas extremamente preocupadas, não só com sexo e o prazer em si, mas nos mais diversos campos da vida. Só que o orgasmo precisa de relaxamento; precisa que se quebre a ansiedade em grande parte. Falo quebrar em parte, pois, totalmente, com a vida que levamos, por mais que consigamos ser relaxados, é algo bem complicado.

Então, quando atingem o orgasmo, as mulheres, que antes sofriam com anorgasmia, subitamente, passam a sentir autoconfiança, autoestima e outros sentimentos fundamentais como amor-próprio e autoaceitação. As ansiedades se quebram, vem um profundo relaxamento e as preocupações somem. Assim, se elas conseguem se manter orgásticas, certamente, serão pessoas bem mais relaxadas e enxergarão melhor suas soluções.

Minha dica é que sejamos seres relaxados e despreocupados. Precisamos apenas saber desacelerar e parar. Depois, fechar os olhos, respirar e buscar num estado meditativo, totalmente relaxado, o que precisa ser feito para a solução do que desejamos solucionar. Uma vez verificado o que precisa ser feito, faça! Depois, siga a vida e deixe o rio seguir seu curso. Não deu certo? Busque novamente o estado meditativo e, com muita tranquilidade, verifique o que precisa ser feito e faça. Novamente relaxe e observe.

Sei que ter essa conduta calma diante das pressões da vida não é algo simples. Também sei que o relaxamento não faz parte da nossa criação, vez que somos educados para ceder às mais diversas cobranças; a nos tornarmos ansiosos e preocupados.

Mudar essa postura diante da vida requer a ruptura de diversos padrões, tabus e paradigmas. Realmente não é fácil, mas é totalmente possível.

Mexe com coisas que aceitamos e acreditamos a vida inteira? Mexe, mas, com dedicação e foco na solução, somos capazes de relaxar e deixar fluir. Este texto é uma sugestão com base no que realmente acredito. Cada um deve verificar no que acredita. Reflitam, sem polemizar.

Daqui que digo que funciona, pois, há mais de 18 anos, me esforço para levar minha vida de forma despreocupada, exercitando diariamente o controle sobre a ansiedade relaxando e observando, olhando para solução. Até aqui, tem dado muito certo, mesmo com os percalços da vida.

Aqui entra uma grande questão, que é o "dar certo". É você que tem que responder se está dando ou não certo. Não delegue isso a terceiros.

Quem acha que mudanças vêm num estalar de dedos, está redondamente enganado. Todas as mudanças, para serem sólidas, precisam ser processuais. Um milagre não deixa de ser milagre, porque o construímos lentamente. Isso mesmo, podemos construir nossos milagres e eles continuarão a ser divinos.

 

 

Por Marcelo (Prem Prabhu)