JULGAMENTOS
Postado em 22 de março de 2019


Jamais conseguiremos escapar dos julgamentos. Todos os dias seremos julgados. Alguns irão lhe condenar, outros irão absolvê-lo. A questão é: como vamos nos comportar diante desses constantes julgamentos? Opino por deixar simplesmente fluir! Não vale à pena ficar questionando as pessoas, se preocupando com isso, criando conflitos externos e, principalmente internos. É pura perda de tempo.

Muitos gostam de dizer que não julgam. Mas, na realidade, a todo instante, só fazem julgar. Falar que é contra julgamentos e que não julga, é o politicamente correto. É o que as pessoas gostam de ouvir umas das outras.
Somos seres em constante evolução e, por isso, estamos expostos às mais diversas falhas existenciais e aos mais diversos tipos de sentimentos imperfeitos. Não estou falando de caráter. Ok?

Uma pessoa que julga, não é, necessariamente, um ser ruim. Ela apenas não se libertou e ainda precisa se conhecer melhor. Muitas vezes o julgamento é uma defesa, uma insegurança. Conheço pessoas maravilhosas que têm o hábito de julgar. Nem por isso, deixam de fazer o bem aos seus semelhantes por meio de lindas ações.

As pessoas vão nos julgar e isso é certo, porque se preocupar mais com o mundo externo é o que nos foi ensinado. Cabe a nós quebramos estes paradigmas limitantes e não sentarmos nesses bancos dos réus, seguindo adiante, sem nos importarmos. Quando não nos sentimos réus, passamos a ignorar os julgamentos e a não sermos mais juízes dos outros, consequentemente. Logo, estaremos livres de grandes pesos.

Tudo começa por nós! Nada é mais interno que os nossos sentimentos. E temos que focar nisso para permitir que flua amor, de forma que esta energia incrível possa ser compartilhada.

Enfim, julgue menos. Julgue-se menos.

 

 

 

Por Mercelo (Prem Prabhu)