ORGASMO: UMA QUESTÃO DE SAÚDE PÚBLICA
Postado em 27 de fevereiro de 2019


 

 

 

 

O orgasmo deveria estar nas políticas de Estado para saúde pública. Deveria estar totalmente inserido, obrigatoriamente, por lei, tanto na saúde pública, quanto na privada, tendo inclusive cobertura de planos e seguros de saúde para tratamentos.

Não falo isso por falar, em tom de brincadeira ou coisa do gênero. Falo muito sério quando faço as afirmativas acima, pois é fato que as dificuldades e as ausências parcial e total de orgasmos nas vidas das pessoas têm lhes causado diversos problemas psicológicos e físicos, que sequer deveriam existir, mas que recebem tratamentos convencionais na saúde.

Já tratei dos benefícios do orgasmo em diversos textos, que podem ser lidos no meu site. Então, em vez de repetir, proponho que vocês façam um pesquisa na internet com duas propostas de buscas: 1) benefícios do orgasmo e; 2) hormônios liberados com o orgasmo.

Uma vez que vocês tenham feito a pesquisa proposta, mesmo sem profundidade, terão entendido quantos problemas de saúde física e mental podem ser curados ou prevenidos com o orgasmo.

Trazendo pequenos exemplos, o orgasmo é o poder de cura que a natureza nos deu. Se usado como prevenção, além de evitar problemas diversos, o governo poderia diminuir seus gastos, podendo alocar recursos em outras áreas da saúde. Se usado também com o cura, poderia evitar o consumo de muitos medicamentos fortes, tarjas pretas, que inclusive causam dependências e outros diversos problemas à saúde.

Este é um tema de extrema relevância em que todos deveriam se aprofundar.

 

 

 

Por Mercelo (Prem Prabhu)