POSTAGENS SEM PROFUNDIDADE, TAMBÉM PODEM GERAR ANSIEDADES
Postado em 31 de março de 2019

 

 

Não sou muito fã dessas frases e pequenos textos existenciais, retirados de livros de gurus, religiosos, filósofos dentre outros que, constantemente, são postadas na internet . Não gosto de falar de forma rasa sobre aquilo que a imensa maioria das pessoas, por desconhecimento, não tem em suas vidas.

Penso que estes tipos de postagens, no fundo, deixam as pessoas confusas, irritadas, estressadas, tristes e ainda mais ansiosas, pelo fato de não serem ou viverem daquela maneira, até mesmo, por acharem que aquilo está distante de suas realidades, se decidirem tentar. Algumas podem até fazer bem no momento, para um grupo de pessoas, mas, diante das enxurradas que se vê nas redes sociais, não estão somando.

Por isso, opto por publicar textos completos, bem explicados, com profundidade e coerência. Certamente, se eu publicar algo que venha no formato que estou criticando, será encontrado um texto meu falando do tema.

Falta conteúdo nessas postagens, esta é a questão. E não estou aqui fazendo críticas aos autores, pelo contrário. Neste ponto, a questão é que, pegar uma pequena passagem ou fragmento de texto, pode não corresponde à real opinião do autor ou à exata mensagem que ele deseja passar.

Acredito que, se estes tipos de postagens fossem eficientes e somassem de fato, não teríamos tantas pessoas passando por questões e problemas existenciais, sendo consumidas pela ansiedade.

Muito melhor seria, se pegassemos esses fragmentos e adicionassemos conteúdo a eles. Por conteúdo pode ser entendido textos ou comentários que fizessem as pessoas encontrarem identificação e sentido para as vidas delas através do que estão lendo.

É o que penso, respeitando e, portanto, aceitando a posição de quem não concorda comigo.

Decidi publicar este texto com base em uma conversa que tive com uma pessoa (não foi a primeira, nem a décima) que me trouxe esta percepção importante.

 

 

 

 

Por Mercelo (Prem Prabhu)