TANTRA: AMOR E GRATIDÃO!
Postado em 01 de setembro de 2019


Sou muito insistente neste ponto em relação ao Tantra, à própria massagem tântrica e demais práticas advindas desta maravilhosa filosofia de vida que, para mim e muitas pessoas que nela estão inseridas, é movida a base de um combustível divino chamado amor.

Quando os resultados são excelentes; quando as pessoas ficam felizes, acreditem, o papel do terapeuta é muito pequeno nas conquistas que as pacientes têm, pois coube a ele apenas estimular. São elas, as pacientes, as grandes protagonistas e vencedoras.

No entanto, sei que isso não elimina o fato de a pessoa ter gratidão pelo que o terapeuta fez, ao estimular o despertar do que há de mais maravilhoso dentro dela, até porque, a energia da gratidão e, principalmente, a do amor, são muito fortes e presentes no Tantra.

Quando recebo um feedback assim, não há como negar que fico ainda mais estimulado a continuar. Não é uma questão te Ego, mas sim uma questão de felicidade, de se sentir útil, de ver que tudo aquilo que você se dedica e respira no dia a dia está servindo para ajudar alguém. O Tantra é altamente pragmático e, para ser assim de fato, ele precisa ter função.

Poder participar disso tudo, me faz aprender muito: me melhora como ser humano, como homem, apura meu feminino, me conecta ao meu interior, me faz refletir constantemente e movimenta minha energia sexual. Tenham certeza de que os benefícios para a minha vida são maravilhosos, em todos os sentidos. Atender mulheres com a massagem tântrica me torna cada vez mais sinestésico e sensorial, e isso, é algo incrível e indescritível.

Neste anos todos, jamais senti decréscimos de energias em mim ao atender uma paciente. Mas, certamente, saber que irei tocá-las faz com que cuide muito das minhas energias, para que possa entregar a elas o melhor de mim, porque, o mundo fora do Tantra, que sou obrigado a viver, é muito complicado neste certame.

Tantra é amor! Tantra é gratidão! É isso que me faz bater no peito é dizer: sou o homem mais feliz do mundo!

 

 

 

 

 

Por Mercelo (Prem Prabhu)