UM RELATO QUE REFLETE A FORÇA DO AMOR. VAMOS NOS HUMANIZAR MAIS:

Postado em de 22 setembro de 2019

 

 

Sem dúvidas o Tantra, que eu acredito, humaniza o ser humano. Isso ocorre, porque ele é pragmático e traz, para a cada um que o tem como filosofia de vida, uma visão sobre si muito ampla e muito humana. Ele traz uma autocompreensão tão grande, que passamos a compreender nossos semelhantes de uma maneira ímpar.

 

 

 

 

 

Compreendemos, em nossos semelhantes, suas forças e fraquezas, suas escolhas e renúncias, seus processos, suas qualidades, seus sentimentos, ou seja, compreendemos cada ser humano de forma única, porque nos compreendemos e passamos a entender que temos o dom de sermos únicos. No Tantra, que eu acredito, tudo vem de dentro e se expande ao exterior em forma de energia, da energia do amor, porque o Tantra é amor puro.

O Tantra, a partir de cada um de nós, do nosso esforço, do nosso querer, do nosso poder reação, do nosso poder de cura, do nosso amor-próprio, nos transforma em gratidão. Ele mostra que não somos máquinas, robôs ou lá o que seja nesse sentido; que não nascemos em linhas de produção de uma fábrica e que nossos "reparos" não são realizados com base em manuais de instruções de construtores.

A visão que trago comigo, e que coloco em prática, é que não devemos levar o Tantra às pessoas que nos propomos a ajudar. Devemos levar apenas amor, para que elas vejam que o grande poder está dentro delas, a partir dos seus amores-próprios. A quem ajudo, no máximo, apenas digo que o que estou levando é o que aprendi no Tantra, que eu acredito.

Sequer sugiro que elas sigam o mesmo caminho que eu, porque isso seria uma forma de doutrinação, algo que repudio veemência. Não quero arrebanhar ninguém. Não quero que me sigam. Não quero que façam o que eu falo. Quero que cada um vá na direção que bem entender e siga o caminho que achar melhor, porém, com percepções fortes sobre si, através de auto-observações, de um forte olhar para seus interiores, que lhes garantirá autocompreensão e autoaceitação.

Busco compartilhar apenas o meu amor, para despertar o amor-próprio de cada pessoa que me proponho a ajudar. Não uso e não tenho técnicas, pois não sou psicólogo, coach, ou seja, não sou um profissional. Sou apenas um ser que se ama; que aprendeu a se sentir e a ter sensibilidade, consequentemente; que descobriu que o amor-próprio é a grande cura de cada ser humano.

Esta Deusa que ajudei, com amor, fez apenas uma sessão de massagem tântrica, mas, no caso dela, não foi a massagem que a ajudou. Foi o amor que compartilhamos, semanas após a sessão. Esta Deusa, Linda e Poderosa, é mãe de duas pessoas lindas e estava apenas passando por momentos difíceis. Hoje, certamente, ela está melhor, porque despertou seu amor-próprio. Hoje, ela é um vulcão que conhece a sua força. Nos falamos muito eventualmente. Ela segue a vida dela e eu a minha. É assim que dever ser.

Só sei que, quanto mais pessoa me proponho a ajudar, mais desperto meu amor-próprio e mais amor compartilho. E isso me faz muito bem, em todos os sentidos. Ajudar as pessoas, jamais baixou minhas energias. Pelo contrário, só fez elevá-las. Sejamos amor. Sejamos gratidão!

 

 

Por Mercelo (Prem Prabhu)