Uma mulher não precisa de um homem para chamar de seu. Ele precisa apenas se amar

 

Postado em 20 de agosto de 2017 (atualizado em 01 de abril de 2019)

 

 

 

O que afirmarei a seguir, talvez, deixe algumas mulheres revoltadas. Mas, lamentavelmente, vejo que a dependência que as mulheres têm dos homens ainda é enorme, que pouco evoluiu para libertá-las. Ainda hoje, as mulheres estão sendo criadas e educadas para depender dos homens, porque o modelo de criação patriarcal que temos também pouco evoluiu no sentido de ser banido de nossas vidas.

 

 



Tudo bem que independência financeira evoluiu a passos largos e que as mulheres estão, aos poucos e ao longo dos anos, a base de muitas batalhas, conquistando seus espaços no mercado de trabalho. Com muita justiça, aliás.

Vale também destacar, que a vida está cada vez mais cara e que, se as mulheres não estivessem trabalhando, certamente, muitos homens não estariam dando conta das despesas mais básicas das suas casas e das suas famílias. Este é um fato que não está restrito ao Brasil.

No entanto, o aspecto dependência emocional parece ter piorado. A educação, a criação, as influências religiosas, os tabus e os paradigmas impostos às mulheres ainda são no sentido de que elas precisam de um homem para chamar de seu. Ainda que isso não seja sinal de felicidade, ter um homem para chamar de seu indica uma pseudo estabilidade emocional que acalenta os corações mais tensos. Muitas vezes, também se trata de uma resposta social, pois vivemos numa sociedade canalha, hipócrita, segregadora e covarde que cobra vidas padronizadas.

As mulheres que vivem (ou parecem viver) fora desses conceitos sociais, desses padrões de criação, acham que estão libertas, mas, lá nos seus âmagos, é sabido que não estão.

A questão é que, geralmente, externam revoltas em relação aos homens. Isso indica que seus sentimentos ainda precisam ser trabalhados e que toda criação que tiveram ainda as afetam sobremaneira. A realidade é que são raras as mulheres que são criadas para serem emocionalmente independentes e, mais raras ainda, as que conseguem se desvincular destas dependências. As que admitem ser dependentes emocionalmente são quase inexistentes.

Criar uma mulher emocionalmente independente de homens não é uma tarefa das mais fáceis para pais e mães. Isso, porque, quase que diariamente, terão que desconstruir em casa as informações que suas filhas recebem na escola, no clube, na academia, no curso de línguas, na igreja e em diversos locais por elas frequentados. As amiguinhas são criadas para depender emocionalmente de homens.

Mencione-se ainda que toda essa dependência emocional das mulheres pode tomar proporções que acabam por levar a casos extremos.

Mas, eu digo que as mulheres não devem depender em nada dos homens. Elas precisam depender apenas delas. Devem buscar o amor-próprio. As mulheres precisam se amar antes de tudo e todos. Precisam despertar seus femininos. Precisam aprender a se enxergarem como Deusas que são.

As mulheres devem dizer a si mesmas, diariamente: "Eu me quero. Eu me amo". As mulheres não precisam de um homem para chamar de seu. Elas precisam se amar. E isso precisa ser trabalhado diariamente, com foco e muita vontade.

Para começar a mudança, é necessário desvincularem-se dos homens e trabalhar os seus interiores apenas, sem pensar em nada e em ninguém mais. A motivação dessa mudança em uma mulher deve ser ela mesma.

Se, uma mulher pretende mudar para se libertar dos homens, tudo começa errado. É algo que elas precisam fazer apenas por elas mesmas. Elas precisam se libertar dos padrões de criação. Não podem fazer isso por alguém ou por uma causa, que seja diferente da sua individualidade.

Meu trabalho com Tantra e com a massagem tântrica tem muito foco na independência emocional, por meio da elevação das minhas pacientes, do amor-próprio, do despertar do feminino, do empoderamento, da elevação da autoestima, da autoconfiança, da autoaceitação e da ampliação da consciência sobre si. As levo a combater o negativo com o que possuem de positivo dentro delas, que não é pouco. Muitas se reprogramam.

Infelizmente, as mulheres não fazem ideia do grande poder que carregam dentro de si. Meu trabalho é apenas fazê-las enxergar aquilo que é muito óbvio para mim, vez que vi e vivi com minhas pacientes transformações incríveis.

A massagem tântrica se mostra muito eficiente para essa reprogramação. Mas, a terapia é uma ferramenta. O uso dessa ferramenta dependerá, inevitavelmente, do querer de cada paciente.

Uma mulher emocionalmente independente de homens é livre e, consequentemente, mais feliz. Ela emana sua felicidade a todos. Essa independência contagia o homem e o retira da sua zona de conforto.

Não se trata de deixar de se relacionar. Também não se trata de se opor aos homens. Não existe oposição. Trata-se de ser feliz e liberta apenas. Trata-se de plenitude.

 

 

Por Marcelo (Prem Prabhu)