Toquem-se com amor e calma

 

 

Postado em 01 de julho de 2018

 

 

 

A massagem Yoni (vagina em Sânscrito) é uma oportunidade única para as mulheres sentirem suas genitálias sob perspectivas totalmente diferenciadas. Ela cria nas mulheres uma sensação incrível da presença de seus órgãos sexuais, totalmente integrados aos seus corpos e mentes. É muito comum, após as experiências com a massagem, relatos de mulheres afirmando que estão sentindo mais suas genitálias, descreverem fortes sensações de calor na região, vontades fortes de tocá-las constantemente e de chegarem ao orgasmo. Trata-se pura energia circulante.

 

 



A questão é que, mesmo tendo níveis de prazer mais profundos e fortes que os homens, grande parte das mulheres ainda não tem o hábito de se tocar, muito menos, de sentir e acariciar amorosamente suas Yonis, e isso inclui as que se masturbam com frequência também. Existe ainda muita pressa na masturbação feminina, que nada mais é do que a ansiedade que as afeta sobremaneira. As mulheres ainda não se atentaram ao fato de que, antes de se tocarem, precisam estar em calmaria para sentirem ao máximo cada momento e cada sensação da masturbação.

Não é apenas o orgasmo que é importante na masturbação. Claro que chegar ao orgasmo é maravilhoso. Mas, tão importante quanto, é ter a calma e a tranquilidade de sentir a Yoni, no seu todo, devagar, curtindo cada toque em cada região, em cada ponto dela. São dezenas de pontos importantes a serem tocados e sentidos. Claro que o aprendizado dos pontos é importante, mas fazendo tudo com calma, é possível passar bem perto ou até encontrar estes pontos, obtendo sensações maravilhosas e mudanças de percepções importantes. A questão aqui é que, se tudo for feito com calma, com carinho e amor à própria Yoni, os orgasmos serão muito mais intensos.

E não é só uma questão de ter orgasmos mais intensos. O conhecimento sobre a Yoni faz com o prazer nas relações sexuais sejam cada vez melhores também. Nada melhor do que se conhecer para conduzir a relação ao seu prazer, não é mesmo? Afinal, deixar as suas melhores sensações a cargo dos homens, é algo que não vem dando muito certo, pelo menos na maior parte dos casos.

Sou a favor da totalidade. Não adianta apenas conhecer o corpo e desconhecer própria Yoni. O contrário também está longe do ideal. O conhecimento teórico também não basta, porque é a prática que revela nossos pontos particulares de prazer mais intensos, ou seja, é o sentir. Tem que sentir! Tem que se conhecer totalmente! Quando se fala em prazer, existe o que é geral, mas também existe, principalmente, o que é personalíssimo; existe os seus pontos de prazer e ter isso em mente é fundamental.

Sempre recomendarei às mulheres o que chamo de autoprazer (no meu site tem um artigo específico), envolvendo respiração, concentração, calmaria absoluta ou meditação e toques sensoriais sutis por todo corpo, antes de tocarem suas Yonis. Mas, sei que isso é um processo que, provavelmente, apenas será colocado em prática por pacientes que estão indo para a quarta ou quinta sessão de massagem tântrica ou por mulheres que adquirirem o hábito de se masturbar com calma e amor às suas Yonis, tal como mencionei.

É preciso tirar a sacralidade da Yoni do campo teórico e partir para prática. Quando for se masturbar, lembre-se de fazer tudo com muito amor e carinho, como se fosse uma oração, reservando um tempo que deve ser apenas seu. Busqu conhecer e reconhecer sua Yoni como "passagem divina", "lugar de nascimento", "fonte de vida", "templo sagrado", "portal de luz" e tudo que de mais maravilhoso existe.

Por Prem Prabhu